domingo, 13 de março de 2016

Acessibilidade na portaria

Entrada do Condomínio Luxemburgo, que tem dois degraus após a portaria
Um dos primeiros problemas enfrentados por quem sofre uma lesão medular ou outra enfermidade que o deixe em uma cadeira de rodas é o acesso ao prédio em que mora. Muitas vezes, como aconteceu comigo, há dois ou três lances de escada na portaria. A primeira opção para resolver é utilizar sempre a garagem para sair do prédio. Só que vai depender muito da entrada e estrutura desta garagem. Se for plana o suficiente, será possível sair rodando na própria cadeira de rodas. Mas o risco de dar de cara com um carro é alto, portanto vai demandar muito cuidado. Se não for plana, só dá para sair de carro, o que limita muito a saída.
Degraus da portaria para entrar no prédio
A outra alternativa é solicitar ao condomínio para alterar a portaria e garantir a acessibilidade. Muitas vezes isto é tranquilo, tanto do ponto de vista técnico quanto de "convencimento", pois muitas vezes é preciso brigar muito para convencer os outros condôminos a alterar a fachada e comprar a ideia que todos podem sair ganhando com mais acessibilidade. Se o cadeirante for proprietário do imóvel, a tarefa pode ser mais viável, mas se for apenas inquilino... vai ter que gastar gogó para convencer o povo.
Visão geral da portaria
O cliente em questão adquiriu um apartamento em um edifício que não oferecia acessibilidade na portaria, que tinha dois degraus. Era para ser um projeto simples, porém há uma porta de vidro a poucos metros da escada, o que limita o comprimento da rampa, e consequentemente sua inclinação. Felizmente há um pequeno degrau de seis centímetros antes da porta de vidro, o que viabilizou a elaboração do projeto dentro dos limites de inclinação da norma NBR 9050.
Rampa projetada em 3D para a portaria do Condomínio Luxemburgo
Nossa sugestão foi a fabricação de uma rampa de metal que inicia na borda do primeiro degrau e vai até o início do degrau antes da porta de vidro. Desta forma, a inclinação da rampa ficará em 12,59%, pouco acima dos 12,50% recomendados pela norma. Como o cadeirante utiliza cadeira motorizada, não haverá dificuldade para subir ou descer. A largura da rampa será de um metro e vinte e dois centímetros, ocupando quase toda a largura da escada. Não ocupou tudo devido a uma coluna que há ao lado da porta de vidro. O projeto foi aceito pelo condomínio e a rampa foi construída!
Vista de trás da rampa projetada

Nenhum comentário:

Postar um comentário