domingo, 13 de março de 2016

Acessibilidade na portaria

Entrada do Condomínio Luxemburgo, que tem dois degraus após a portaria
Um dos primeiros problemas enfrentados por quem sofre uma lesão medular ou outra enfermidade que o deixe em uma cadeira de rodas é o acesso ao prédio em que mora. Muitas vezes, como aconteceu comigo, há dois ou três lances de escada na portaria. A primeira opção para resolver é utilizar sempre a garagem para sair do prédio. Só que vai depender muito da entrada e estrutura desta garagem. Se for plana o suficiente, será possível sair rodando na própria cadeira de rodas. Mas o risco de dar de cara com um carro é alto, portanto vai demandar muito cuidado. Se não for plana, só dá para sair de carro, o que limita muito a saída.
Degraus da portaria para entrar no prédio
A outra alternativa é solicitar ao condomínio para alterar a portaria e garantir a acessibilidade. Muitas vezes isto é tranquilo, tanto do ponto de vista técnico quanto de "convencimento", pois muitas vezes é preciso brigar muito para convencer os outros condôminos a alterar a fachada e comprar a ideia que todos podem sair ganhando com mais acessibilidade. Se o cadeirante for proprietário do imóvel, a tarefa pode ser mais viável, mas se for apenas inquilino... vai ter que gastar gogó para convencer o povo.
Visão geral da portaria
O cliente em questão adquiriu um apartamento em um edifício que não oferecia acessibilidade na portaria, que tinha dois degraus. Era para ser um projeto simples, porém há uma porta de vidro a poucos metros da escada, o que limita o comprimento da rampa, e consequentemente sua inclinação. Felizmente há um pequeno degrau de seis centímetros antes da porta de vidro, o que viabilizou a elaboração do projeto dentro dos limites de inclinação da norma NBR 9050.
Rampa projetada em 3D para a portaria do Condomínio Luxemburgo
Nossa sugestão foi a fabricação de uma rampa de metal que inicia na borda do primeiro degrau e vai até o início do degrau antes da porta de vidro. Desta forma, a inclinação da rampa ficará em 12,59%, pouco acima dos 12,50% recomendados pela norma. Como o cadeirante utiliza cadeira motorizada, não haverá dificuldade para subir ou descer. A largura da rampa será de um metro e vinte e dois centímetros, ocupando quase toda a largura da escada. Não ocupou tudo devido a uma coluna que há ao lado da porta de vidro. O projeto foi aceito pelo condomínio e a rampa foi construída!
Vista de trás da rampa projetada

quarta-feira, 9 de março de 2016

Hotel Fazenda Ville Real

Vista da piscina principal do Hotel Fazenda
Conseguir hotéis adaptados nem sempre é fácil, em se tratando de hotel fazenda, é ainda mais difícil. Mesmo porque estabelecimentos com esta proposta tem abundância de áreas verdes, decoração rústica e calçamento irregular. Mas como em todos os casos, com um pouco de boa vontade e adaptações, é possível melhorar a acessibilidade de um hotel fazenda. Estive no Ville Real, a 77 quilômetros de Belo Horizonte para passar um reveillon com amigos, e tive o prazer de conhecer um dos proprietários naquela ocasião. Escolhemos aquele hotel porque descobri pelo site que tinham quarto adaptado, liguei para a recepção e detalharam do que se tratava. Disseram que o hotel tem várias casinhas juntas onde ficam os quartos, formando uma vila, e que o chão é de pedra fincada, mas seria possível parar o carro bem em frente ao quarto. Na porta há um pequeno degrau, mas iriam providenciar uma rampa de madeira. E as adaptações do quarto eram boas.
De fato pude fazer tudo que prometeram, parei o carro em frente, colocaram uma rampa na entrada e o quarto era bem adaptado, com uma ou outra coisa para melhorar. Só que não dá para sair de carro toda hora, para ir à piscina principal, por exemplo, é melhor ir rodando. E as pedras fincadas atrapalham bastante. Haviam outros pequenos problemas pelo hotel, e em conversa com os proprietários, se interessaram em fazer um projeto para melhorar a acessibilidade.
Entrada do restaurante, com um degrau de 13 cm
Voltei ao hotel posteriormente para fazer a análise completa da acessibilidade e identificar os pontos onde poderíamos implantar melhorias. O restaurante do hotel conta com um degrau na entrada, onde há passagem de veículos, e um degrau para os fundos. Para os dois casos sugerimos a implantação de uma rampa de madeira móvel, de forma a não atrapalhar a passagem de carros na entrada ou descaracterizar a saída dos fundos. A vantagem da rampa móvel de madeira é ser mais leve do que a de metal para ser colocada somente em caso de necessidade.
Rampa sugerida para a entrada do restaurante
A Recepção do hotel fica em um casarão com as características coloniais preservadas, acessível pela frente por uma escada que dá ao segundo andar, inviável a adaptação sem alterar a caracterização.
Acesso à recepção pela área interna
Para o acesso à recepção pela área interna do hotel, sugerimos a colocação de uma rampa móvel feita de madeira ou metal, na lateral da varanda. Esta rampa ficará com inclinação de 11%, suficiente para que um cadeirante utilize sem muito esforço. Não há necessidade de corrimão.
Rampa sugerida para a recepção
O próximo ambiente que avaliamos foi o Salão de Festas e Convenções. O Salão do Hotel é acessado por uma porta grande na frente e por duas entradas atrás. Em nenhuma delas há acessibilidade. Na entrada da frente, há apenas um degrau, mas o pavimento é composto por pedras São Tomé irregulares. tem diversos elementos que conferem um charme retrô, sendo o principal deles um vagão de trem antigo que fica sobre trilhos, que separam o salão de convenções e o palco do salão principal.
Escada para acesso ao salão de festas
Para acessar a parte de baixo há uma escada que corre sobre os trilhos. E foi exatamente aí o maior desafio do projeto. Nós desenvolvemos uma rampa que possa ser soldada à escada, e assim rodar junto com ela por cima dos trilhos.
Sugestão de rampa sobre os trilhos
A inclinação desta rampa ficou um pouco acima da inclinação máxima permitida na lei, portanto foi acrescentada a observação de que ela só deve ser utilizada com acompanhamento.
Para o acesso ao salão de festas a partir da área da piscina, a sugestão é a construção de uma rampa em cimento, conforme detalhado nas simulações abaixo.
Simulação da rampa de cimento na saída do salão de festas
Medidas da rampa de cimento sugerida
Para os banheiros do salão de festas, recomendamos o remanejamento das divisórias internas, de forma que os banheiros destinados as pessoas com deficiência (opostos à pia) tenham 1,20 m de largura e porta de 90 cm.
Degrau na entrada do quarto adaptado
O quarto adaptado do Vila Real tem um degrau de 14 cm na porta, para superar esse obstáculo é necessária a construção de uma rampa móvel em madeira, ou fixa de cimento. A rampa terá uma inclinação de 10%, com as seguintes medidas:
Rampa de madeira sugerida para a entrada do quarto adaptado
Para o banheiro do quarto sugerimos algumas adaptações simples:
          I.   instalação de ducha com chuveirinho,
         II.   instalação de barras de apoio no box e no vaso sanitário,
       III.   alargamento da porta do box e
 IV.   aquisição de uma cadeira de banho com rodas traseiras grandes.
Banheiro do quarto adaptado
Com estas adaptações, o Hotel Fazenda Ville Real oferecerá maior comodidade a cadeirantes e pessoas com locomoção reduzida.